sábado, 19 de março de 2011

O encontro e o convívio

Já houve um tempo em que nos conhecíamos pessoalmente de ouvir falar. Agora passámos a encontrar-nos nos blogues, no facebook e outros sítios da blogosfera, mas sentimos que nada disto substitui completamente o toque físico, pele com pele e cara a cara, do abraço, do aperto de mão, do beijo, de um olá pleno de ar quente dos pulmões, sopro com sopro, palavras de corpo presente, palavras que não sejam levadas, todas, com o vento ou com um delete.
Entre muitas outras, aqui está uma das razões para a urgência do encontro e do convívio, que aquele pode atear, um fogo que se alimenta de afectos, de cumplicidades e de partilhas que exigem um pouco mais do que o simples clic maquinal, este um convívio de maior solidão, bem mais frio e distante.
Encontremo-nos, pois, e convivamos para nos conhecermos melhor e, conhecendo-nos melhor, melhor fazermos o que houver a fazer. E há muito a fazer.

[...]

Estava só a pensar, divagando, no nosso Encontro Livreiro em Setúbal e aqui fica o resíduo de um pensamento à solta que me puxou para aqui.

No próximo dia 27 é muito natural que alguns, que se julgam conhecer há muito, só de ouvir falar, se encontrem pela primeira vez e passem a con-viver mais. E, se isso acontecer, já valeu a pena o sonho do Livreiro Velho a que, desde o passado dia 28 de Março de 2010, demos asas.

Um abraço a todos e até breve,

Luís Guerra
Assírio & Alvim /Fundador do Encontro Livreiro

Sem comentários:

Enviar um comentário