quinta-feira, 21 de julho de 2011

Cada vez é mais difícil vender livros. Vende-se papel para entreter as gentes.

Tudo começa com um leitor encantado pela ideia da livraria. Só depois nasce o livreiro. Apaixonado e sonhador, pronto a ser mastigado pelos próprios livros que o seduziram. Cada vez é mais difícil vender livros. Vende-se papel para entreter as gentes. A livraria conquista e apaga o sonho e a paixão. Felizmente, haverá sempre aquele livro que nos salva o sorriso quando tudo o resto parece desmoronar-se.

Luís Filipe Cristóvão (Livrododia - Torres Vedras]

Mensagem do livreiro Luís Filipe Cristóvão , da Livrododia, em Torres Vedras, enviada a Luís Guerra para ser lida (o que não foi possível, tendo referido apenas a sua recepção) no último "encontro livreiro" realizado no Bartô do Chapitô, integrado na iniciativa "Para acabar de vez com a leitura", no dia 13 de Julho de 2011.

Sem comentários:

Enviar um comentário