quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pronto, já está!

É engraçado os convidados para o lançamento da conversa [«Para acabar de vez com a leitura», Chapitô, 13-VII-2011] estarem dentro de um tanque de lavar roupa. E quando se lava roupa é porque ela está suja.
Ontem não lavámos roupa suja, no entanto. A roupa está lavada. Vê-se-lhe a cor. Se alguma mancha persiste também ela dá cor de si.
O que estávamos era a pôr a roupa a corar! Ali! Estendidinha! Para toda a gente ver! E foi bonito de ver. E sentir o aveludado do amor aos livros. Do amor pela leitura.
(A alheira de caça também não estava nada mal!) Às tantas fiquei um pouquito preocupado se não estávamos a dar uma seca a quem com o livros apenas tem uma relação de leitura dado termos entrado, embora de forma ligeira, pela vida do negócio. E esse é um problema dos livreiros e não dos leitores.
A Rosa esteve resplandescente e de parabéns pela força que imprime à coisa.
O Luís Guerra ainda vai ter uma estátua paga em prestações pelos livreiros.
O Ricardo ainda voltará a ter uma livraria com os clássicos todos a caírem-lhe em cima. Se não, pelo menos uma bibliotecazita...
O Pedro só disse merda uma vez e esteve como só ele sabe estar. Faz sempre bem o humor a dar seriedade ao assunto.
O Joaquim, depois de duas garrafas de água - água é o que melhor sabe meter - arrumou as botas e rumou a Sines para preparar as boas-vindas aos visitantes o FMM*.
A Teresa Ricou, uma senhora da cultura, acabou muito bem com uma intervenção que merece a minha chapelada.
Pronto, já está!


Joaquim Gonçalves
A das Artes - Sines

Nota nossa: Sines não é só o FMM [Festival Músicas do Mundo] e o FMM não é só música. Também é livros. Pela mão do Joaquim Gonçalves, da livraria A das Artes.

Sem comentários:

Enviar um comentário