quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Apreço enorme

[rabisco de pedro vieira]

«Outra condição da concórdia e da convivência é a redução da agressividade ao mínimo. Há pessoas que não podem falar sem agredir, insultar, caluniar. Provocam profundas feridas pessoais, que costumam acirrar-se e dificultar a convivência. Costuma-se responder a essas palavras com outras igualmente exasperadas e agressivas, sendo esse justamente o princípio da discórdia.
Sinto enorme apreço e admiração pelas pessoas que unem a integridade à serenidade, à cortesia, que não entram no jogo quando se trata de um jogo sujo».

Julián Marías, Tratado sobre a Convivência - Concórdia sem Acordo, Martins Fontes, 2003, p. 204.

{leitura de Manuel Pereira Medeiros}

Sem comentários:

Enviar um comentário