segunda-feira, 19 de setembro de 2011

o cheiro do papel invade os sentidos e mostra que tudo valeu a pena


«A livreira desconhecida já tem o cheiro dos livros tristes na pele.

E o coração, como é feito de papel, não pode deixar de bater.»

Marta Peixoto, «Os Livros Tristes»

Sem comentários:

Enviar um comentário