terça-feira, 24 de janeiro de 2012

«Uma cidade sem livrarias não é uma cidade.»

«A minha avó trabalhou na Livraria Portugal, muito antes de eu nascer ou sequer imaginar que ía ser livreira. Cresci a ouvir contar histórias sobre a livraria, as tertúlias, as disputas entre Natália Correia e Vera Lagoa, as namoradas de David Mourão-Ferreira, as fugas da PIDE e os livros proibidos, pequenas histórias e grandes histórias que sempre me fascinaram. As histórias continuaram a ser contadas pela minha mãe que era visita habitual, como o André é da Pó dos Livros. Os livros fazem parte de mim porque gosto de ler, porque sempre vivi rodeada de livros, porque são o meu trabalho, mas também por causa destas memórias. Não são só os livros que guardam histórias, os espaços onde os livros habitam também as guardam, uma livraria é um sítio especial.
Soube agora que a Livraria Portugal vai fechar. Sempre que uma livraria fecha fico triste, mas esta faz parte da minha memória...»

Débora Figueiredo - Livreira (Pó dos Livros - Lisboa), via Facebook

Sem comentários:

Enviar um comentário