quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

«Vinha a sair, feliz, com um saco de livros...»


«Morreu numa livraria não foi? Então teve a morte mais bela a que um escritor pode aspirar. Morreu junto aos livros, no seu posto, como o soldado morre no campo de batalha.»

Gonzalo Torrente Ballester, sobre Fernando Assis Pacheco [nasceu em Coimbra, faz hoje 75 anos], citado por José Mário Silva.

2 comentários: