domingo, 13 de maio de 2012

«Por estas razões, os abaixo-assinados sócios da APEL e participantes da Feira do Livro de Lisboa vêm exigir junto da direcção da nossa associação que seja efectuada uma consulta democrática no sentido de conhecer a opinião da maioria dos associados sobre a data e horário da Feira do Livro do próximo ano.»



Caros amigos,

Este é o texto de uma abaixo-assinado, feito pela Relógio D´Água, Antígona e Letra Livre, exigindo a mudança da data da Feira do Livro de Lisboa subscrito por cerca de 50 editores e livreiros:


Sobre a marcação das Feiras do Livro

A Feira do Livro de Lisboa tem decorrido com quase metade dos dias sob a chuva, a humidade e o frio que afasta visitantes, estraga livros e ameaça sessões de autógrafos. O ano passado, o início da Feira foi semelhante.
Muitos de nós têm já nostalgia da Feira de Lisboa percorrida em tardes de sol, onde à sombra de um castanheiro-da-índia os visitantes se apressavam a ler os livros acabados de comprar.
Deixou de ser assim porque a direcção da APEL insiste em realizar a Feira entre a última semana de Abril e meados de Maio. Ora é estatisticamente mais provável ocorrer chuva nesse período do que, por exemplo, entre 7 e 24 de Maio, que tem ainda a vantagem dos jacarandás floridos no Parque Eduardo VII.
Que explica então este reiterado masoquismo anual? A APEL certamente dirá que, sendo os pavilhões da Feira do Livro do Porto os mesmos de Lisboa, não se pode empurrar aquela feira para o Verão e a dispersão das férias. Mas que mal haveria em realizar a feira do Porto entre, digamos, 7 e 22 de Junho?
De resto, não se entende porque não se alterna entre as duas cidades o início das Feiras. Como há menos pavilhões no Porto, no ano em que a Feira começasse a norte, poder-se-ia mesmo avançar a sua montagem em Lisboa, estreitando o prazo entre as feiras, e permitindo assim que acabassem mais cedo.
E já agora, sendo cada vez menos as inscrições para a Feira do Porto, porque não adiá-las de modo a poderem ser feitas já com as receitas recolhidas na de Lisboa? É que o aluguer dos pavilhões, a precisarem já de ser substituídos, é bem mais caro que o de uma suite num bem situado hotel de Manhattan ou mesmo de Luanda.
Por estas razões, os abaixo-assinados sócios da APEL e participantes da Feira do Livro de Lisboa vêm exigir junto da direcção da nossa associação que seja efectuada uma consulta democrática no sentido de conhecer a opinião da maioria dos associados sobre a data e horário da Feira do Livro do próximo ano.

Lisboa, 7/5/2012

Cordialmente,

Eduardo de Sousa

Livraria & Editora Letra Livre, Calçada do Combro, 139, 1200-113 Lisboa, Tel: 213461075, www.letralivre.com

Sem comentários:

Enviar um comentário