terça-feira, 5 de novembro de 2013

Em Trás-os-Montes e Alto Douro as livrarias já estão a trabalhar em conjunto.

 
António Alberto Alves, da Traga-Mundos e do Encontro-Livreiro


Organizando apresentações em várias livrarias da região e trocando experiências e conhecimentos, o Encontro Livreiro de Trás-os-Montes e Alto Douro está já a fazer uma pequena-grande revolução no modo de trabalhar das nossas livrarias.

No âmbito do Encontro Livreiro de Trás-os-Montes e Alto Douro, o livro A ÚLTIMA CRIADA DE SALAZAR, de Miguel Carvalho, teve apresentações em Bragança (Livraria Rosa d'Ouro), Macedo de Cavaleiros (Livraria Poética), Vila Real (Livraria Traga-Mundos) e Favaios (Museu do Pão e do Vinho), nesta última com a presença de Rosália Araújo, protagonista do livro.

Deixamos aqui o testemunho de Miguel Carvalho, autor do livro que proporcionou a mais recente experiência de parceria entre várias livrarias:

Foram quatro dias em cheio, de Bragança a Favaios, em convívios e tertúlias a pretexto d´A Última Criada de Salazar. Nunca faltaram motivos de conversa, muito além «do tempo da outra senhora». Das palavras do professor João Cabrita na noite da Livraria Rosa d´Ouro aos mimos recebidos em Favaios, com o Museu do Pão e do Vinho a abarrotar, como se sempre tivessse pertencido à terra, muitos momentos calaram fundo. Da tertúlia madrugadora e animada da Poética em Macedo de Cavaleiros à estreia na encantadora Traga-Mundos, de Vila Real, onde as palavras da minha camarada de ofício Patrícia Posse adoçaram o momento. Acima de tudo, uma certeza: vale a pena olhar para esta gente que, por terras transmontanas e durienses, cria dinâmicas, desafia crises e desistências, investe nas partilhas, estabelece cumplicidades e desenrasca pretextos sem descanso para evitar que a interioridade se torne, cada vez mais, uma palavra daninha. Por eles, isso não acontecerá. E nós, na grande cidade, devíamos agradecer-lhes, penhoradamente, o que eles fazem para que o País não se esqueça do seu tamanho no mapa nem da sua geografia afectiva, artística e cultural.
Devo alguns agradecimentos, de coração: à Patrícia Posse, uma das talentosas jornalistas da nova geração, que me acolheu e guiou por estes dias deliciosos, fotografando cada momento e partilhando, fora de horas, as outras conversas que tivemos penduradas por muito tempo; ao António Alves, da Traga-Mundos, pela perseverança na realização deste Encontro Livreiro de Trás-os-Montes e Alto Douro; ao senhor Casimiro, pela dedicação posta na sessão da Rosa d´Ouro, em Bragança; à Virgínia do Carmo, da Poética, que leva água ao deserto em Macedo de Cavaleiros, sem esmorecer e ainda por cima a escrever belíssimas prosas poéticas; à equipa do programa Espaço Douro, da Universidade FM (Andreia Pinto, Pedro Espírito Santo e Sansão Gomes) pela divulgação da obra e das minhas palavras; à Patrícia, à Cristina e toda a equipa do Museu do Pão e do Vinho, em Favaios, que tornaram a tarde do último domingo um momento que jamais esquecerei e onde tive, mais do que uma vez, de sufocar as lágrimas. E acima de tudo, agradecer à Dona Rosália, protagonista d´A Última Criada de Salazar, os laços indestrutíveis cimentados a partir deste livro, muito para lá do que alguma vez imaginei possível.



Força Encontro Livreiro de Trás-os-Montes e Alto Douro!


Encontro-Livreiro

Sem comentários:

Enviar um comentário