domingo, 6 de abril de 2014

A difícil situação dos livreiros no Portugal de hoje e (...) a necessidade de sinergias e políticas que os defendam e ao seu valioso património, em risco de perda irreversível — Daniel Melo | Universidade Nova de Lisboa

                                    Daniel Melo, aqui no II Encontro Livreiro (2011)

Por motivos de saúde, não posso comparecer ao V Encontro Livreiro na Culsete, para o qual fui amavelmente convidado pela incansável Fátima Ribeiro de Medeiros. Ainda assim, tenho muito gosto em partilhar convosco o meu agradecimento a todos quantos se esforçam por ver reconhecida a relevância do livreiro e da actividade cultural em geral. 

Aproveito também para deixar duas informações relativas a esta 'causa': a 1.ª é que a revista Cultura do Centro de História da Cultura da NOVA irá lançar em breve um dossiê sobre os livreiros e o seu património. Esperemos que possa ser apresentado já na próxima Feira do Livro de Lisboa. Esse dossiê acolhe textos dos livreiros que o Nuno Medeiros e eu convidámos para um encontro específico, realizado em Outubro passado. Os livreiros convidados foram Fátima Ribeiro de Medeiros e Pedro Oliveira, o último em nome dos antigos livreiros da Sá da Costa. Aditámos-lhe um texto introdutório onde reflectimos sobre a difícil situação dos livreiros no Portugal de hoje e sobre a necessidade de sinergias e políticas que os defendam e ao seu valioso património, em risco de perda irreversível, como ocorreu recentemente após o fecho de várias livrarias. 

A segunda informação respeita à recente abertura de um sítio de Internet dedicado à editora Romano Torres e ao projecto de salvaguarda e comunicação do seu precioso acervo documental e iconográfico. Esse site pretende também divulgar bibliografias temáticas e fontes orais, bem como dinamizar os estudos sobre a edição e o universo do livro. Trata-se de um projecto também do CHC da Nova, apoiados pela Fundação Gulbenkian, e pelo qual se busca ainda sensibilizar para a necessidade urgente de espaços institucionais destinados à salvaguarda do património da edição e do livro em Portugal. 

Espero que estas duas iniciativas possam contribuir para o adequado reconhecimento dos agentes ligados ao livro, designadamente dos livreiros. 

Bom Encontro Livreiro para todos, 

Daniel Melo
Historiador | Universidade Nova de Lisboa


(mensagem recebida no dia 29 de Março e lida no V Encontro Livreiro)

1 comentário:

  1. porque os livros são mais necessários que os políticos.

    ResponderEliminar